terça-feira, 27 de julho de 2010

Viver

Boa madrugada!
Bom a essa altura espero que você leitor do blog esteja dormindo. Eu gostaria de estar! Risos.
Mas essa madrugada é madruga de plantão no telefone da paz. Bom, madrugada no telefone da paz sempre é assim, depois das 03h00min da manhã o telefone para e sempre dá tempo pra gente acabar descansando ou tirando tempo pra fazer alguma outra coisa, ler, orar, assistir rede super... Resolvi aproveitar esse tempo pra escrever.
Pensar na minha vida, colocar alguns pensamentos em ordem. Às vezes na correria durante o dia é tão difícil parar pra escrever, agora estou com tempo de sobra!
Muitas idéias passam pela cabeça. Avaliar a sua vida nem sempre é fácil. Diante dos fatos vividos em alguns momentos pensamos que ganhamos, em outros pensamos que perdemos, em outros não pensamos nada, simplesmente entramos na caixa do nada e nos encontramos com que ela esta cheia: NADA. “Nem sempre o que consideramos conquistas soa como vitória, como nem sempre o que consideramos derrota tem som de perda”.
Avaliar nossa vida é uma necessidade! Sentar de frente com a gente e olhar dentro dos nossos olhos, se enxergar. Ver que não temos vergonha de quem somos, do que estamos nos tornando, ou que nos envergonhamos muito do que estamos vendo. Ver o que estamos escrevendo na nossa história, ou o que simplesmente estamos deixando moldar, o rumo que os fatos, a vida esta dando pra gente. Que na verdade não somos agentes, que não estamos sendo!
Perceber quais os valores utilizamos para avaliarmos, de onde eles vêem, de quem os adquirimos, e se de fato eles são valores ou bijuterias.
Pensar na história vivida pode nos fazer mudar o presente, planejar melhor o futuro. Perceber que muito tempo foi perdido no passado, e às vezes ainda perdemos tentando mudar o passado, ao invés de utilizá-lo como fonte de saber para ser melhor no presente.
Não posso deixar mais o tempo passar, não sei mais quantos dias terei. Tenho sim dentro de mim a perspectiva do céu, anseio pelo eterno, porém o eterno tempo que tenho é o hoje, o agora! Se continuarmos caminhando sem avaliarmos o próximo passo, amanhã poderemos querer ter esse passo para andar em outra direção, o problema é que aí esse passo já não nos pertence mais, ele virá propriedade do passado e o passado não empresta nada pra gente, só serve de memorial!
É preciso saber viver! Valeu Roberto!
Porém que nossa capacidade de avaliação não nos roube a paixão pela vida! Afinal tenho apenas 25 anos, paixão por viver! Que o pensar não nos leve a inércia, ao medo. “Viva intensamente a cada dia, como se fosse o ultimo dia”! Valeu Pastor Márcio!
Pensar demais e deixar o tempo passar também não é viver, é observar, e quem faz história nessa vida, um dia saiu do banco pra fazer alguma coisa.
Os dois pensamentos em algum momento parecem ate não se completar. Parece que ate um não faz sentido ao outro. Como viver meus dias com paixão e avaliação? Nem sempre o curtir parece ter muito sentido ao lado da disciplina!
Então olho para Jesus! Nele vejo responsabilidade e emoção! O aproveitar sem perder a capacidade de avaliação!
Jesus tinha sempre em vista a vontade do Pai, e a cada momento sem perder de vista a cruz vivia intensamente para a gloria de Deus.
Sabia o momento preciso de parar tudo só pra poder dizer a respeito das aves do céu, mas conhecia o momento exato de caminhar para aquilo que lhe estava preparado.
Em Jesus encontro verdade e emoção. Paixão e razão. Vida e comprometimento!
São apenas algumas palavras meu amigo leitor. O sono esta batendo em mim aqui, até peço perdão caso fuja muitos erros aqui, juro que fiz o maximo, dentro das condições, agora são 4:00 da manhã.
Tudo que quero é poder um dia dizer como Paulo: “Combati o bom combate, trilhei a carreira, guardei a fé”. Que o Senhor nos de os valores certos, as verdades eternas, para que no tempo presente vivamos para sua gloria!

3 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. Gostei particularmente desse texto!Acredito que todo mundo tenha a necessidade, a obrigação e o rotineiro medo de enfrentar a si mesmo as vezes por medo do vai encontrar, as vezes por comodismo ou as vezes por não querer se deparar com uma necessária mudança.Fiquei me perguntando o que estaria nas entrelinhas, e minha mente me levou a muitos lugares.O homem busca vitórias de forma incessante, a vida toda, o tempo todo, e perder nem sempre é fácil. Sem sombra de dúvida a fé muda de maneira singular esse contexto, pois quando nossa vida está com Cristo podemos declarar isso que cita o texto: “nem sempre o que consideramos derrota tem som de perda”. Isso é resultado de uma fé profunda, de uma adoração profunda, intimidade profunda com o Senhor, sem isso seriam só palavras combinando. Me leva a crer, que pobre do ser humano que ainda não conhece a Verdade.....
    A questão que o texto aborda da intensidade do hoje, também trás muitas reflexões, esperar o que?? Pra que??Penso em Mc, I, 14-20, que fala sobre a vocação dos primeiros apóstolos, penso em especial no versículo 18, que diz assim: E, deixando LOGO as suas redes , o seguiram.
    Essa palavra é confrontante todos os dias na caminhada com Cristo, quando há sede pelas coisas do alto e esse é o alvo, não há nunca o que esperar, queremos servir hoje, adorar hoje, olhar para o nosso interior e nos avaliar hoje, largar nossas redes hoje...
    O clamor final do texto também reflete esse mesmo contexto de confiança no Senhor e a necessidade de sermos imediatistas em estar com Ele. E que realmente (rsrs): “Que o Senhor nos dê, os valores certos, as verdades eternas, para que no tempo presente vivamos para a sua glória!... amém.

    Nathália Delgado

    ResponderExcluir
  3. Parabéns Pastor pelo texto!
    Sua mensagem chegou até o meu Ceará!
    Fica na paz!Abração

    ResponderExcluir